Piloto e organizador da prova destaca qualidade do grid em Interlagos, que contou com 41 karts no Kartódromo Ayrton Senna

A 25ª edição das 500 Milhas de Kart foi disputada no último final de semana em Interlagos e a prova foi de muita emoção, tanto para os participantes quanto para quem viu direto na pista, pela TV ou redes sociais.

Com 41 karts na disputa, a prova resgatou a história de Interlagos, que por muitos anos foi o palco onde a grande maioria dos competidores começavam suas carreiras.

“Foi bacana poder realizar a 500 Milhas de Kart pela primeira vez em Interlagos, uma pista onde Rubinho, Tony (Kanaan), eu, Christian (Fittipaldi) e vários outros pilotos começaram no esporte a motor, quando ainda éramos crianças e onde nossos grandes campeões foram formados”, diz Giaffone.

Felipe também destacou os desafios de montar e trazer a estrutura que tradicionalmente fica situada no Kartódromo Granja Viana.

“Foi um evento em que nós montamos uma estrutura maior para poder viabilizar a prova, visto que o Kartódromo de Interlagos não tem essa estrutura fixa, então pudemos deixar um ambiente bom para todos os pilotos, familiares e todos que participaram dessa edição”, conta Giaffone.

A prova teve vitória da equipe Car Racing/ Americanet, que venceu quatro das últimas cinco edições da prova. “A equipe vencedora está de parabéns, era a maior da história com 12 karts e grandes pilotos, mas várias outros times também se destacaram, como a Massoni/Eleven/Conceito e o time do André Nicastro. Muito bom ter esse grid competitivo”, diz Giaffone.

O organizador ainda comentou sobre a dificuldade de definir a data desta edição por conta da pandemia. “A data talvez não tenha sido a melhor, porque tínhamos as 24 Horas de Daytona no mesmo final de semana. Em janeiro muitos pilotos também ainda estão viajando, mas dentro da disponibilidade de data que tínhamos foi um evento bem especial e saímos animados com 41 karts no grid, nomes legais. É claro que a pandemia ainda atrapalha, esperávamos mais uma equipe argentina e outra vindo dos EUA, mas foi uma disputa bacana” revela Giaffone.

Essa foi a primeira vez em que Giaffone correu junto dos dois filhos, Nicolas e Tito. Rubens Barrichello também correu novamente com os filhos Eduardo e Fernando.

Por fim, Giaffone destacou a transmissão realizada em diversas plataformas, trazendo grande visibilidade para a prova.

“Muito bom ver a transmissão voltando para a Band depois de muitos anos, então também foi bom porque pudemos contar várias histórias e trazer um pouco dos bastidores do kartismo e do automobilismo brasileiro”, completou o piloto pentacampeão nos caminhões